FIES: veja o que mudou para 2016

O Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (FIES) passou por momentos de tensão em 2015. Desde sua criação, o foco é proporcionar aos universitários condições de cursar a graduação.

Com isso, parte da responsabilidade é do Governo, que financia as mensalidades em faculdades. E com as alterações impostas ainda neste ano, o FIES de 2016 terá algumas novidades.

O que muda no FIES 2016?

Entre as principais mudanças impostas pelo Ministério da Educação (MEC) está a obrigatoriedade de o aluno ter obtido nota mínima de 450 no ENEM e não ter zerado a redação. Anteriormente, era exigido apenas que o aluno tivesse realizado o exame.

fies 2016

Outra mudança está relacionada à renda familiar. Até então, o MEC exigia até 20 salários mínimos. A partir de 2016, o limite per capita é de 2,5 salários mínimos.

Além disso, o FIES do próximo ano dará prioridade para alguns cursos e regiões do Brasil. Engenharias, formação de professores e saúde são cursos prioritários. O que até então não existia, tudo era nivelado.

E as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste passarão a ter prioridade. Ou seja, se você é aluno dessas áreas e deseja ingressar na faculdade, o caminho estará mais curto.

FIES 2016 – Critérios de pagamento

As mudanças do FIES não se restringem ao que foi dito no parágrafo anterior. O prazo de pagamento do financiamento passa a ser de três vezes a duração do curso. A regra anterior estimava que até 2010 seria de duas vezes.

E o que tem incomodado os universitários é o de a faculdade oferecer descontos de até 5%. A regra das edições passadas possibilitava ao estudante pagar a mensalidade mais barata na instituição de ensino.

Desempate

Por fim, o MEC também anunciou mudanças nos critérios de desempate para o ingresso no FIES. Quem obtiver a nota mais alta na redação e nas provas de Linguagens e Tecnologias terá vantagem sobre os demais concorrentes.

FIES – Saiba mais

O programa de financiamento estudantil foi criado em 1999 no governo Fernando Henrique Cardoso. Mas somente com Lula a entrada para o FIES foi ampliada. Já no governo Dilma Rousseff, o financiamento atingiu a marca de 24%.

O FIES é diferente do PROUNI (Programa Universidade para Todos). Enquanto este atua apenas dando bolsas integrais ou parciais, o FIES permite o financiamento integral do curso. A quitação da dívida do estudante será feita após a conclusão da graduação.

O financiamento é feito pela Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil. Todo o processo é realizado a internet – o que neste ano causou problemas para os estudantes. Muitos não conseguiram renovar o contrato e acabaram perdendo a ajuda do governo.

As mudanças impostas pelo MEC são motivadas pela crise econômica. Os cortes sofridos pela Caixa afetaram diretamente a educação e habitação, carros-chefes.

Fies 2015: Problemas, Perguntas e Respostas

Fies 2015

Fazer uma faculdade é o sonho de muitas pessoas e para ajudar na realização desse sonho uma opção é o FIES (Programa de Financiamento Estudantil). Esse recurso tem como finalidade pagar os estudos universitários, sendo que o estudante reembolsará o Governo depois de formado. Contudo, várias pessoas vêm enfrentando problemas com o financiamento e suas novas regras.

Fies 2015: Problemas, Perguntas e Respostas

Até 2014, os critérios para conseguir o FIES eram menos rigorosos. Porém, em dezembro do mesmo ano, o Ministério da Educação (MEC) fez algumas mudanças: há uma nota mínima a ser tirada no Exame Nacional do Ensino médio (ENEM), o prazo para se cadastrar no programa encurtou e há um limite no reajuste das mensalidades da faculdade.

Fies 2015 – Problemas com a Renovação

Um dos problemas comuns relatados pelas pessoas que tentavam se cadastrar ou renovar seu contrato era o fato de a página não carregar. Uma das dúvidas a esse respeito era: o que fazer?  Na verdade, a opção é esperar. Por conta desse problema, prazos foram prorrogados e o MEC garantiu que todas as renovações seriam feitas.

Fies 2015 – O que é o Erro m321?

Outra pergunta possível é: o que é o erro “m321”? Esse erro significa que o campus no qual o estudante se cadastrou para estudar está lotado, ou seja, é necessário escolher outro campus. Isso acontece por conta das notas: cursos com nota 5 têm atendimento pleno, com todas pedidos de contrato serão aceitos. Cursos com nota 3 ou 4, não.

Fies 2015 – Todas as solicitações são aceitas?

Uma das perguntas que podem ser feitas é: todas as solicitações de contrato são aceitas pelo FIES? A resposta, infelizmente, é não. Nem todos os contratos possuem aceitação. Cursos com notas 1 e 2, desde as antigas regras, não são aceitos pelo FIES.

Para as pessoas que pretendem se inscrever no programa, vale a pena deixar claro que é essencial obter uma boa nota no ENEM. Além disso, escolher cursos com nota 5 dá mais garantias de que o contrato será aceito. É necessário se cercar de todos os lados e garantir que se está completamente dentro dos critérios para se conseguir o financiamento.

publicidade

Como Funciona o FIES?

O Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) é um programa do Ministério da Educação, criado em 1999, pelo Governo Federal. Ele é destinado a financiar a graduação superior de estudantes matriculados em instituições privadas. Podem recorrer ao financiamento os estudantes matriculados em cursos superiores que tenham avaliação positiva nos processos conduzidos pelo Ministério da Educação.

fies (1)

publicidade

FIES – Quando Começou?

Em 2010 o FIES passou a funcionar em um novo formato. O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) passou a ser o Agente Operador do Programa e os juros caíram para 3,4% ao ano. Além disso, passou a ser permitido ao estudante solicitar o financiamento em qualquer período do ano. O financiamento do FIES é concedido pelos dois bancos oficiais do programa, que são a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil. Lembrando que o financiamento exige fiador, com exceção em quadros específicos, descritos no ato da inscrição.

Percentual e Renda do FIES

O percentual mínimo de financiamento pelo FIES é de 50% do valor dos encargos educacionais cobrados do estudante por parte da instituição de ensino. Já o percentual máximo, para estudantes com renda familiar mensal bruta de até 10 salários mínimos, pode chegar a 100% de financiamento. Para estudantes com renda familiar superior a 10 salários mínimos e menor ou igual a 15 salários mínimos, é de até 75% de financiamento.

Inscrições do FIES

As inscrições são feitas exclusivamente pelo Sistema Informatizado do FIES (SisFIES), disponível para acesso no site http://sisfiesportal.mec.gov.br/. O estudante poderá fazer a inscrição em qualquer período do ano, de janeiro a junho, para o financiamento relativo ao 1º semestre, e de julho a dezembro, para o financiamento relativo ao 2º semestre do ano.

Para os estudantes que concluíram o ensino médio a partir do ano letivo de 2010 e queiram solicitar o FIES, deverão ter realizado o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) de 2010 ou ano posterior.

Isenção do FIES

Estarão isentos da exigência do ENEM os professores da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica, integrantes do quadro de pessoal permanente de instituição pública, regularmente matriculados em cursos de licenciatura, normal superior ou pedagogia.

O FIES só financia os cursos de graduação com conceito maior ou igual a 03 (três) no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), das instituições participantes. Os cursos que ainda não possuam avaliação no SINAES e que estejam autorizados para funcionamento, segundo cadastro do MEC, também poderão participar do Programa.

Quem NÃO pode solicitar o FIES?

É vedada a inscrição no FIES a estudante:

  • Cuja matrícula acadêmica esteja trancada no momento da inscrição;
  • Que já tenha sido beneficiado com financiamento do FIES;
  • Inadimplente com o Programa de Crédito Educativo (PCE/CREDUC);
  • Cujo percentual de comprometimento da renda familiar mensal bruta per capita seja inferior a 20% (vinte por cento);
  • Cuja renda familiar mensal bruta seja superior a 20 (vinte) salários mínimos.

O QUE É SISU? Entenda como Participar

Sistema de Seleção unificada, o SISU é um programa que seleciona estudantes para ocuparem vagas nas redes federais e nas estaduais. Ele tem sido muito importante na educação brasileira, principalmente para as pessoas de baixa renda.

Resultado-do-Sisu-2015

Você pode usar o Sisu para concorrer as vagas dos vestibulares 2016. Primeiramente para participar do Sisu você precisa fazer o Enem, por que você usa a nota do mesmo para se inscrever no programa e concorrer as vagas.

Mais um programa que facilita a entrega do estudante no ensino superior, através do SISU muitos conseguiram entrar no tão sonhado curso e tudo isso sem nenhum custo. Caso você tenha interesse em participar descubra o que é Sisu e veja como se inscrever.

O que é Sisu?

Agora que você já sabe o que é Sisu provavelmente já imaginou como o mesmo é bem concorrido, e ele realmente é mesmo. Programas que ajudam a entregar na faculdade federal e estadual realmente são muito concorridos, e com esse não seria diferente.

Conforme mencionado anteriormente o Sisu precisa da nota do Enem, e o seu primeiro passo é ter um bom resultado no Enem para poder usar a nota dele. Tendo uma boa nota você se inscreve no Sisu e concorre uma bolsa.

No ultimo ano tivemos mais de 128 instituições cadastradas no programa e que ofereçam vagas para os diversos cursos de nível superior. Isso é muito importante para que o jovem encontre a oportunidade que tanto procura.

Veja Também: Saiba como fazer sua inscrição no Idiomas sem Fronteiras

Sisu – Como Participar?

Através do Sisu você pode pleitear uma vaga em uma instituição federal ou estadual, o que é um sonho para muitos jovens. É indispensável que você tenha feito o Enem para concorrer as vagas do Sisu, logo, não se esqueça de se inscrever.

Algumas instituições de ensino reservam vagas para o programa Sisu, essa reserva varia muito de instituição para instituição, e de curso para curso. Cabe ao aluno interessado ver qual delas oferece o curso que ele deseja, de acordo com a localidade e outros fatores que influenciam.

Inscrições no Sisu

Você pode realizar sua inscrição no Sisu por meio eletrônico. No ato da inscrição você informrá os dados do Enem, pois os cadastros ficam vinculados, por isso que foi mencionado a importância de se obter um bom resultado nesse exame, a nota dele é o fator determinante para que você ganhe uma bolsa.

Acesse e faça sua inscrição: http://sisu.mec.gov.br/

Muitas instituições de ensino adotam a nota mínima para selecionar os concorrentes as vagas. Como se fosse uma nota de corte mesmo, onde o aluno tem que passar por ela para poder concorrer a uma vaga. Essa nota varia conforme cada instituição, não deixe de verificar essa informação na que você for concorrer a uma vaga.

Idiomas sem Fronteiras: Aprenda como funciona!

Saiba mais aqui sobre esse projeto que os estudantes brasileiros tem de desfrutar através dessa iniciativa do Governo Federal, o Idiomas Sem Fronteiras é um novo programa que oportunizará o aprendizado e fluência de alunos interessados em diversos idiomas!

IDIOMAS_SEM_FRONTEIRAS

Se qualificar para o mercado de trabalho é o sonho de todo jovem ou adulto que está no mercado de trabalho. E o governo tem tentado ajudar bastante nisso, com programas como por exemplo o Pronatec ou o Fies. E além desses, existem muitos outros programas bacanas.O artigo de hoje é pra você que quer enriquecer seu currículo e sua cultura aprendendo outros idiomas através desse programa do Governo que é o Idiomas sem Fronteiras.

Veja Também: Você sabe o que é o SISU?

O que é o Idiomas sem Fronteiras?

O Idiomas sem Fronteiras é o mais novo e super comentado programa do Governo Federal, que tem parcerias com o Ministério da Educação (MEC), a Secretaria de Educação Superior e com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de nível superior. Esse projeto foi destinado aos estudantes que já são matriculados nas universidades federais ou estaduais, o objetivo é oferecer à esses alunos a oportunidade de terem um ensino de idiomas excelente e poderem usufruir disso em sua vida social ou profissional. O programa é destinado tanto aos alunos da graduação, mestrado ou doutorado.

O Idiomas sem Fronteiras quer ajudar o aluno que se interessa em fazer parte futuramente no outro programa do governo federal, o famoso Ciência sem Fronteiras, que tem proporcionado grandes oportunidades de estudos à alunos do Brasil inteiro à se formarem em diversas universidades pelo mundo, gerando profissionais cada vez mais capacitados capacitados pro nosso mercado profissional.

Esse novo programa visa abranger e proporcionar mais capacitação para que toda os cidadãos tenham oportunidades iguais de estudos, O Governo Federal lançou o Idiomas sem Fronteiras, para que tais estudantes se preparem em outra língua com antecedência, para, dessa maneira, concorrer às milhares de vagas do Ciência sem Fronteiras ofertadas, e também que isso assegure no futuro um preparo e maior conhecimento em outro idioma enriquecendo seu currículo profissional, aumentando mais suas chances no mercado.

Idiomas sem Fronteiras: inscrição

A documentação é bem específica de acordo com os cursos ofertados para sua cidade. Para você se informar com mais precisão e se inscrever no curso desejado, você deverá primeiramente ler o Edital nº33/2014. Nesse link você pode baixar o edital e as portarias e saber muito mais como funciona o programa e suas regras: http://isf.mec.gov.br/frances/pt-br/documentos

Após se cadastrar no site do Idiomas Sem Fronteiras e se candidatar à algum curso, depois da avaliação, você receberá o resultado da sua inscrição através do portal do aluno no próprio site do programa, eles te mandaram um email com as informações.

Se você se interessa mesmo por outros idiomas ou pretende estudar fora do país, não perca seu tempo e procure logo se cadastrar para algum curso.

Esperamos que o texto de hoje tenha lhe ajudado em suas dúvidas sobre o Idiomas Sem Fronteiras.

Para dúvidas e sugestões, nos deixem comentários!

FIES Sem Fiador

fies (2)Já sabemos que o FIES é um programa do MEC destinado à concessão de financiamento a estudantes matriculados em cursos superiores presenciais particulares, e com avaliação positiva nos processos conduzidos pelo MEC. Justamente por se tratar de um financiamento bancário de alto valor é exigido um fiador para contratação do FIES.

Há como financiar sem um fiador?

Para contratação do financiamento é exigida a apresentação de fiador. Existem dois tipos de fiança: a fiança convencional e a fiança solidária.

Porém, ficam dispensados da exigência de fiador os alunos bolsistas parciais do ProUni, os alunos matriculados em cursos de licenciatura e os alunos que tenham renda familiar per capita de até um salário mínimo e meio. Se o estudante não se enquadra dentro dessas opções deverá optar pelos dois tipos de fiador.

Quem NÃO poderá ser fiador?

• Cônjuge ou companheiro (a) do estudante;

• Estudante beneficiário do Programa de Crédito Educativo — PEC/CREDUC, salvo no caso de quitação total do financiamento;

• Cidadão estrangeiro, exceto cidadão português que comprovadamente possua a concessão dos benefícios do Estatuto da Igualdade, conforme Decreto nº 3.927, de 19 de setembro de 2001, comprovada por meio da carteira de identidade de estrangeiro emitida pelo Ministério da Justiça;

• Estudante que possua financiamento vigente concedido no âmbito do FIES.

FIES – Fiança convencional

A fiança convencional é aquela prestada por até dois fiadores cuja renda seja igual ao dobro do valor da mensalidade paga pelo estudante, considerados os descontos de pontualidade e de caráter coletivo oferecidos pela IES.

Em se tratando de estudantes beneficiários de bolsa parcial do ProUni, o fiador deverá possuir renda mensal bruta conjunta pelo menos igual à parcela mensal da semestralidade, observados os descontos regulares e de caráter coletivo oferecidos pela IES, inclusive aqueles concedidos em virtude de pagamento pontual.

Fiança solidária FIES

O grupo de fiadores deverá ser constituído na mesma agência do agente financeiro escolhido, reunidos em grupo de 3 a 5 participantes não sendo exigida a comprovação de rendimentos. Os estudantes deverão obrigatoriamente ser da mesma IES e do mesmo local de oferta do curso. Os estudantes não poderão ser do mesmo grupo familiar e ficarão restritos a oferecer essa modalidade a apenas um grupo.

 

FIES para Pós Graduação

O Ministério da Educação (MEC), confirmou no 2° semestre de 2014, a ampliação do Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) para os cursos de pós-graduação. Assim que as faculdades e universidades fizerem o cadastro, o MEC irá disponibilizar o sistema de adesão para estudantes que queiram pedir o financiamento da mensalidade. As regras e os prazos para a adesão deverão ser publicados no site do FIES.

Segundo o MEC, o FIES se consolidou com o modelo atual na graduação e tem 1,6 milhões de contratos firmados. Atualmente, cerca de 40% dos estudantes matriculados em instituições de ensino superior privadas são apoiados pelo FIES e pelo ProUni (Programa Universidade para Todos).

Veja também: Há como financiar FIES sem um fiador?

A nova modalidade: FIES Pós Graduação

A nova modalidade do FIES deverá atender mais de 31.600 potenciais beneficiários, matriculados em mais de 600 programas de pós-graduação stricto sensu ofertados por cerca de 170 instituições privadas. O FIES da pós-graduação não atenderá cursos de especialização (lato sensu) nem cursos de ensino a distância. Ainda segundo o MEC, alunos já contemplados com bolsas da Capes pelo Programa de Suporte à Pós-Graduação de Instituições de Ensino Particulares (Prosup) também não poderão solicitar o financiamento.

As demais regras do programa serão iguais às da graduação: o financiamento será parcial ou integral e o início do pagamento do empréstimo pode ser feito um ano e meio após a formatura. O crédito valerá para cursos avaliados pela Capes, como mestrados e doutorados, e não inclui especializações ou MBAs. Poderão participar mestrados e doutorados com nota igual ou superior a 3, sendo a nota máxima 7.

Acesse: portal.mec.gov.br e saiba mais.

A intenção de incluir os cursos de “pós” como beneficiados do FIES, é aumentar o número de estudantes na pós-graduação, pois essa é uma das metas do Plano Nacional de Educação (PNE). O objetivo do PNE é aumentar progressivamente o número de formados em cursos stricto sensu até 2024, de modo a emitir 60.000 títulos de mestrado e 25.000 de doutorado por ano. Atualmente, o número de formados em mestrado é de 42.800 e em doutorado, 13.900.

 

Fies Aditamento Simplificado

aditamento fies

Aditamento Simplificado Fies – Dicas

Todos aqueles estudantes que já possuem ou ainda pretendem cursar ensino superior se inscrevendo no Fies devem estar sempre atentos para qualquer alteração que possa ocorrer na legislação do Fies sobre os contratos, condições de financiamento, aditamento e renegociação. Qualquer alteração efetuada nas condições de financiamento contratuais exigem que o estudante efetue o Aditamento do Fies.

Para quem não sabe o termo Aditivo ou termo de aditamento Fies é um instrumento utilizado no meio jurídico, para um novo contrato, onde constam as modificações feitas a um contrato anterior. Através do Termo de Aditamento verifica-se as alterações efetuadas no contrato, como inserção de cláusulas, modificação de prazos, supressão de informação alteração dos envolvidos.

O aditamento do Fies é a confirmação do interesse do estudante em utilizar o programa para mais um semestre. É a renovação e atualização do contrato Fies, que deve acontecer semestralmente, através do Sistema Informatizado do Fies. O aditamento Fies de renovação semestral dos contratos pode ser simplificado e não simplificado.

No aditamento simplificado Fies não ocorrem alterações nos valores e nas informações contratuais, existindo apenas atualização dos dados pessoais e valores das semestralidades, o aluno precisa apenas acessar o SisFIES em um prazo de até vinte dias após a solicitação da Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento, conhecida como CPSA. O estudante deverá então informar CPF e senha e confirmar os dados no sistema Fies, se estiverem corretos. Depois disso deve comparecer à CPSA para retirar o Documento de Regularidade de Matrícula assinado pelo presidente ou vice-presidente da Comissão.

O Financiamento Estudantil é um programa promovido pelo Ministério da Educação e destinado aos estudantes do Ensino Superior que declaram que não têm condições financeiras para custear os estudos. É feito um contrato de financiamento estudantil que é renovado semestralmente através de aditamento ao contrato inicial Fies.

Aditamento Simplificado Fies significa que não há alterações cadastrais ou contratuais apenas renovação no Sistema Fies online. É muito importante que o candidato ao Fies confira todos os dados antes de efetuar a confirmação no sistema de aditamento Fies. Pois após ser realizada a solicitação junto à CPSA, caso o estudante verifique alguma informação incorreta, é preciso que ele rejeite esta mesma solicitação e entre imediatamente em contato com a Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento para fazer as devidas correções e reiniciar o processo de aditamento Fies. Os dados errados podem comprometer a revalidação do contrato de financiamento.

Boleto Fies Como Imprimir

fies brasil

Entenda o Fies

Desde 1999, o Programa de Financiamento Estudantil, conhecido como contratação de Fies, permite cada vez mais que estudantes sem condições de arcar com os custos de sua formação possam alcançar o tão desejado diploma de Ensino Superior. Atualmente há mais de 560 mil estudantes beneficiados pelo Fies e 1.459 instituições de Ensino Superior credenciadas pelo Fies, com 2.080 Campus cadastrados e aplicação de recursos da ordem de R$6 bilhões.

Os critérios de seleção para o Fies, impessoais e objetivos, trouxeram transparência ao Programa, que tem como objetivo atender à população com efetividade, destinando e distribuindo os recursos de forma justa e igualitária. Podendo ser pago através de boleto Fies entregue no endereço, sem necessidade de cartão de crédito.

A criação do Fies é um importante instrumento fundado pelo Governo Federal para a universalização do acesso ao Ensino Superior. Através do financiamento estudantil mais de 560 mil estudantes tiveram possibilidade de continuar sua graduação. Além disso, fornecendo aos universitários selecionados recursos suficientes para arcar com custos de sua educação e concluir seu curso, outro benefício do Fies é que também apóia as instituições de ensino superior, que passam a ter garantido o recebimento da parcela financiada pelo Programa.

Boleto Fies – Parcelamento Trimestral

Tanto as parcelas trimestrais boleto Fies de juros quanto as prestações mensais são pagas por meio de Extrato de Pagamento, ou seja, o boleto Fies é enviado via correio ao endereço do estudante, bem como via boleto Fies on-line e ainda disponibilizado em qualquer agência da Caixa Econômica Federal, sendo possível imprimir boleto Fies no próprio site do Fies na internet, podendo ser quitadas em toda a rede de lotéricos, correspondentes bancários e agências da instituição com quem firmou contrato, bem como na rede bancária em geral, até a data de vencimento.

Imprimir Boleto Fies

Após o vencimento boleto Fies, as prestações em atraso só poderão ser pagas nas agências do próprio banco onde possui o contrato. Mantenha seu endereço sempre atualizado para receber todas as notícias sobre o Fies. Para maior facilidade, alguns bancos oferecem o débito automático em sua conta corrente, como na Caixa. Consulte seu Gerente. É essencial que esteja rigorosamente em dia com as obrigações para manter-se no Fies. Outra maneira é imprimir o boleto do Fies, basta clicar aqui. A facilidade de imprimir o boleto Fies foi disponibilizado para evitar atraso no pagamento caso haja atraso na entrega através do correio. Fique sempre atento à necessidade de imprimir boleto Fies, para evitar atrasos.

Empréstimo Estudantil pela Caixa Econômica Federal

Com o início do período de matrículas em faculdades e universidades particulares, muitos estudantes buscam financiamento para pagar os cursos. E o mais procurado é o FIES – Fundo de Financiamento Estudantil. O programa do Ministério da Educação (MEC) oferece financiamentos que podem cobrir até 100% do curso.

emprestimo caixa

Empréstimo é na Caixa

A Caixa Econômica Federal é um dos bancos oficias licenciado a operar o financiamento do Fies. Após as mudanças feitas pelo Ministério da Educação, a partir de 2010  trouxeram benefícios aos estudantes. Umas delas é a unificação da taxa de juros do curso, e hoje todos os cursos têm a taxa de 3,4% ao ano. Durante o curso, o bolsista paga um valor de até R$ 50 a cada três meses, e após se formar, ele terá um período de carência de 18 meses, em que não tem que pagar o Fies.

emprestimo-sem-consulta

Linha de crédito do FIES

A linha de crédito irá bancar a mensalidade do estudante em uma instituição privada de ensino. A única restrição é para alunos que já tenham aderido ao FIES para pagar outro curso e agora queiram fazer uma segunda faculdade, por exemplo. Também ficam vetados do FIES os alunos que estejam inadimplentes com o Programa de Crédito Educativo (anterior ao programa atual).

Outra mudança importante realizada nos últimos anos é sobre alunos que cursam licenciatura em medicina. De acordo com a Caixa Econômica, os universitários podem abater 1% ao mês da sua dívida trabalhando em unidades de saúde da rede pública.

Destacamos que os prazos aumentaram depois de reformulações, pois antes o estudante tinha duas vezes o prazo do seu curso para pagar. Por exemplo, se você estudasse em cinco anos, teria dez anos para pagar. Hoje, esse prazo aumentou para três vezes, ou seja, para um curso de cinco anos, o prazo para quitar a dívida com o Fies é de 15 anos.

Financiamento FIES pela Caixa Econômica Federal

Para requerer o financiamento, o interessado deve acessar o site do FIES, ou acessar diretamente pelo site da Caixa Econômica Federal pelo link http://www.fiesnacaixa.com.br/ . No site da Caixa, o estudante vai encontrar todas as informações sobre o FIES, o passo a passo , o simulador de valores, emissor de boletos, além de poder buscar uma agencia mais próxima para realizar o financiamento.

Inscrição FIES 2016

O estudante poderá fazer a inscrição no FIES em qualquer período do ano, de janeiro a junho, para o financiamento relativo ao 1º semestre, e de julho a dezembro, para o financiamento relativo ao 2º semestre do ano. Após o cadastro, os interessados serão chamados para se apresentar em uma Caixa Econômica Federal, e precisam apresentar RG, CPF e comprovante de endereço e renda, e fiador. Lembrando que fiador também precisa apresentar RG, CPF e comprovante de endereço e renda.

Cuidado para não perder o controle do seu dinheiro

infografico_fluxo_de_caixa_gestor_total